Tempo de espera no Pronto Socorro:

Convênio

00:24

SUS

00:27

Pediatria

00:00

Tempo aproximado para atendimento médico de pacientes em condição não emergencial.

Ajude a cuidar

Todos os campos são obrigatórios.

Fechar Formulário
Imagem Noticia

Após 210 dias na UTI, paciente vai para o quarto

Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Três letras que assustam, mas que salvam vidas. Todo paciente da UTI precisa de um suporte ainda maior. E, em meio às doenças, tratamentos, há também vínculo entre equipe e assistido, história, família e sonhos.

Isaura Santos Pereira de Brito, de 50 anos, permaneceu sete meses na UTI da Santa Casa de Votuporanga. Isaura internou em novembro de 2019, após falta de ar. “Ela teve três paradas cardíacas e precisou de intubação. Foram dias de muitas batalhas”, contou a irmã Maria de Lourdes Santos Pereira.

A paciente percorreu um tratamento. “Os rins chegaram a paralisar, mas após algumas sessões de hemodiálise, voltaram a funcionar. Neste período, ela foi transferida para o quarto, mas precisou voltar para UTI por conta de crises de falta de ar”, disse.

Isaura precisava de uma assistência intensiva. Colaboradores da equipe multidisciplinar que trabalham 24h. “Priorizamos o trabalho em conjunto. Os médicos, a enfermagem, familiares e paciente são totalmente envolvidos no tratamento, com cuidado amplo, focado na humanização”, explicou o médico Dr. Lucio Ribeiro.

A moradora de Votuporanga conquistou a todos pela sua vontade de vencer. “Temos o dever de cuidar de um paciente e isso é um privilégio: uma vida confiada a você. Cada assistido é único e criamos vínculo com cada, de acordo com sua individualidade”, destacou a gerente de enfermagem da Unidade de Terapia Intensiva, Amanda Maris Borssoni Saura da Costa.

E toda esta dedicação e fé fizeram com que a paciente tivesse alta para o quarto, após 210 dias na UTI. Para comemorar essa vitória, Isaura ganhou bexigas e muito carinho. Um vídeo foi gravado pela família, demonstrando toda emoção de quem lutou pela vida. “Foi uma verdadeira festa. Teve muita emoção e choro também. Essa alta para o quarto foi presente de Deus para nossa família”, destacou Maria de Lourdes.

Maria fez questão de deixar um recado para os profissionais. “O tratamento é muito bom, só podemos agradecer por tudo que fizeram”, complementou.

O provedor da Santa Casa, Luiz Fernando Góes Liévana, enalteceu a iniciativa. “Nosso Hospital busca humanização a todo instante e essa ação representa muito bem nossa missão. Os médicos e a equipe multidisciplinar da Unidade de Terapia Intensiva demonstraram toda a felicidade quando um paciente é recuperado. Parabéns a todos os envolvidos, pelo acolhimento e cuidado”, finalizou.