Todos os campos são obrigatórios.

Fechar Formulário
Apresentação
icon

A Santa Casa de Votuporanga é uma Instituição filantrópica sem fins lucrativos, considerada uma Organização Social de Saúde e um dos mais importantes Hospitais do interior paulista que atende 70% de seus pacientes pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Foi inaugurada oficialmente em 16 de abril de 1950, graças ao envolvimento de uma grande parcela da comunidade votuporanguense, que se empenhou neste grandioso projeto em prol da saúde do município nas décadas de 40 e 50.

Com o passar dos anos, o resultado de tanto esforço e dedicação não poderia ser melhor, desde 2014 a Santa Casa de Votuporanga é considerada um Hospital Estruturante, que de acordo com o Governo e a Secretaria Estadual de Saúde é uma Instituição de grande porte, referência em atendimentos complexos, como atendimentos de UTI Neonatal, cirurgias cardíacas, ortopedia, AIDS, cirurgia cardiovascular, UTI Geral, medicina nuclear, ressonância magnética e terapia renal substitutiva entre outros.

A Santa Casa é referência em alta complexidade para 53 municípios da região, atendendo uma população estima em 500 mil habitantes, além de atender pacientes de outros estados brasileiros como: Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Goiás.

Com mais de 16 mil metros quadrados de área construída e 196 leitos, a Santa Casa possui mais de 1000 colaboradores e cerca de 300 médicos, todos profissionais qualificados e, acima de tudo, que prestam um atendimento com respeito e dignidade para todos os usuários.


História
icon

A Santa Casa de Votuporanga foi fundada em 31 de julho de 1946, mas sua inauguração aconteceu em 16 de abril de 1950, envolvendo diversas personalidades do município, entre elas o médico Dr. Miguel Gerosa, que foi um dos grandes entusiastas do Hospital.

Nesta época, a comunidade votuporanguense se uniu em prol de um bem comum com o objetivo de atender pacientes não somente da cidade, mas também de toda a região.

Para ajudar na construção do Hospital, houve diversas quermesses para arrecadar dinheiro que seriam destinados nas obras e na compra de equipamentos. Na oportunidade, aconteciam disputas entre as comunidades de diferentes nacionalidades como a confecção e leilão de bonecas típicas. Devido a essas contribuições, as alas da Santa Casa receberam os nomes daqueles que ajudavam a construí-la, resultando nas alas libanesa, italiana, portuguesa, japonesa e por aí em diante.

Em 1950 o Corpo Clínico era formado pelos médicos Dr. Miguel Gerosa, Dr. Valter Eleutério Rodrigues, Dr. Gumercindo Hernandes Morales, Dr. Álvaro, Dr. Joaquim Figueira da Costa, Dr. Hermínio Sanches, Dr. Rui Pedroso, Dr. Wilson Cury e Dr. Élcio. Havia ainda uma equipe de 30 profissionais como Otília Carneiro, única enfermeira padrão da época. A capacidade da Instituição era de 80 leitos e 1 sala cirúrgica, que atendia seis cidades de nossa região com uma população estimada de 35 mil pessoas.


Política Institucional
icon